O Drama Eterno


Em Gênesis 1 e 2, a Bíblia tem início com um homem e uma mulher. Em Apocalipse 21 e 22, encerra-se com um homem e uma mulher. A Bíblia começa com um casamento e termina também com um casamento. Ela tem início com um menino e uma menina, e termina com um menino e uma menina.
A Bíblia é essencialmente uma história de amor.
De fato, é a maior história de amor de todos os tempos. É o clássico romance. Aqueles que me conhecem podem lhe dizer que sou um fanático por histórias de amor. Os filmes românticos são os meus favoritos. Eles tem o poder de evocar emoções fortes, arrancar lágrimas dos espectadores. Mas, nem mesmo a mais poderosa história de amor pode ser comparada ao romance épico que encontramos nas páginas da Bíblia.
Preste atenção à próxima frase: cada história de amor que a mente dos mortais, homens e mulheres construíram, cada história de amor que surgiu nas páginas da história humana - seja ficção ou não - é apenas um reflexo, uma imagem pálida, um retrato descolorido, uma versão confusa do sagrado romance das eras.
Deus é o autor da mais incrível história de amor. É uma história que estabeleceu os padrões para a literatura romântica. Cada saga grandiosa segue o fio da história do romance escondido das Escrituras. Ninguém pode inventá-lo.
Nós nascemos nesse romance, o romance das eras.
O romance celestial do qual venho falado começa em Gênesis 2. Vamos revisitar o sétimo dia da criação de Deus e observar esse drama se desenrolar.

- Da Eternidade Até Aqui, de Frank Viola, Editora Palavra, Brasília 2011. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só quero ver Você, de Filipe Hitzschky feat. Laura Souguellis

Existe um homem...

Por esta causa me ponho de joelhos...